Páginas

domingo, 27 de novembro de 2011

mini-fic: You Lost Me - Parte 2/3

Demetria Lovato, aceita casar-se comigo?
- Sim! – respondeu a menina sem hesitar com um sorriso enorme no rosto e os olhos marejados.
 Joe colocou o anel no dedo anelar de Demi, levantou-se e a abraçou fortemente, tirou-a do chão e rodou junto a ela. Colocou-a no chão novamente e de novo seus olhares encontraram-se. Seus lábios se juntaram em segundos, o beijo fora diferente agora, foi profundo e quente, sentiram suas almas se conectarem.
- Acho melhor irmos antes que nos peguem aqui. – Demi disse tentando recuperar o fôlego.
- É também acho. – Joe falou pegando a mala que deixaram de lado e segurando a mão da menina para começarem uma vida juntos. ”

Soluços começaram a sair de dentro de sim. Não conseguia abrir os olhos e ver o que fizera. Suas mãos contornaram suas pernas e as apertou contra o corpo o mais forte que conseguia. A dor em seu peito era tanta que pensou que iria explodir. Sua memória ainda trabalhava... Recordando outras lindas memórias.

“– É o suficiente para nós. – Demi disse observando o pequeno apartamento de apenas três cômodos.
- Desculpa não poder te dar o que você merece. – Joe falou um pouco tristonho.
- Não seja bobo. – A menina disse se aproximando e lhe dando um abraço apertado. – Você é tudo o que eu preciso.
- Você não existe, sabia? – o garoto disse retribuindo o abraço. – E eu não me canso de dizer o quanto está linda. – falou soltando-a para poder a observa. Demi estava com um vestido roxo tubinho até o meio das coxas, um salto alto prata, o cabelo preso em um coque com alguns fios desalinhados e uma maquiagem simples. – Eu sei que o seu maior sonha era casar-se com um vestido branco e eu queria...
- Shhh... Já chega. – Ela disse colocando um dedo sobre os lábios dele. – O meu maior sonho era casar-se com o homem que eu amo, e você acabou de realizá-lo pra mim. – deu-lhe um selinho e o viu derramando uma lágrima de felicidade a qual ela limpou rapidamente e sorriu. – Só falta uma coisinha para meu sonho tornar-se totalmente completo.
- O que? – Joe perguntou franzindo o cenho.
- Que me carregue até a cama. – respondeu um pouco tímida, mas ainda sim com um sorriso convidativo.
 Joe riu alto. Segurou na cintura fina de Demi e a puxou para um beijo e um abraço.

- Espero que esteja pronta para ser a Sr. Jonas. – Disse enquanto a ajeitava em seus braços.
- Será uma honra para mim. – falou sorrindo.

 Precisou de poucos passos para chegar até o pequeno quarto onde tinha apenas uma cama de casal, um guarda roupa e uma pequena penteadeira antiga. Joe colocou delicadamente Demi sobre a cama, e em nenhum momento seus olhares se distanciaram, o mundo inteiro parecia ter parado naquele instante.
Ele a olhava docilmente com um sorriso bobo nos lábios. Aproximou-se e a beijou de vagar. Aquela seria a primeira noite dos dois e Joe queria que fosse perfeito. Desceu seus beijos até seu pescoço e mordiscou sua orelha e a sentiu arfar, sabia que ali era seu ponto fraco, sorriu em satisfação.
 Demi começou a desabotoar a camisa de Joe e a tirou com a ajuda dele, ela se pôs por cima e retribuiu as carícias pelo pescoço e desceu até seu peitoral bem desenhado. Joe deslizou suas mãos até o zíper do vestido dela, o abriu lentamente explorando cada parte do corpo em que o zíper passava. Retirou o vestido e parou para observar o copo da amada. Ela era mais perfeita do que ele imaginava. Ela estava sem sutiã, pois o vestido não pedia e coberta apenas pela última pequena peça intima. Ele a olhou com luxúria e depois percebeu que ela estava vermelha. Sorriu ao vê-la com vergonha.

- Você é linda. – sussurrou em seu ouvido ao mesmo tempo em que acariciava um dos seios dela.

Viu-a morder os lábios de prazer e fechar os olhos. Aquilo o excitou ainda mais. Voltou a beijá-la arduamente, suas mãos percorriam todo o corpo dela de forma compulsiva, as caricias estavam torturantes. Demi desceu suas mãos até as calças de Joe e as desabotoou. Rapidamente ele se livrou delas e de sua boxer.  As mãos de Joe acariciavam a parte interna das coxas de Demi, subindo até chegar ao seu íntimo. Ela gemeu ao sentir a mão de Joe sobre a sua última peça que foi retirada um pouco bruscamente.
Ele queria ser gentil, mas ao mesmo tempo não conseguia mais se controlar. Demi conseguia tirar toda a concentração dele e fazê-lo sentir coisas que não imaginavam ser possíveis. Ele a olhou no fundo dos olhos em quanto se posicionava em cima dela.

- Me avise se eu te machucar. – ele pediu docemente obtendo apenas um aceno dela.

Ele a penetrou de vaga. Sentiu-a arranhando suas costas enquanto seu membro tentava te acomodar ao lugar apertado. Começou a se movimentar lentamente tentado ao máximo não machucá-la. Aos poucos Demi começou a liberar pequenos gemidos de prazer. Joe começou a intensificar seus movimentos assim que percebeu que não causara mais dor. Minutos depois o ritmo deles era frenético e os gemidos altos. Não demorou muito para que os dois atingissem o ápice.

 Joe se retirou de dentro dela e deitou-se ao seu lado até as respirações voltarem ao normal. Demi se acomodou no peito de Joe e os dois se encararam por alguns instantes.

- Eu te amo. – ela disse.
- Não tanto quanto eu. – Joe respondeu dando-lhe um beijo na testa. Poucos segundos depois os dois caíram no sono.  “
  
 Não conseguia se controlar mais. Batia sua cabeça contra a parede tentando entender o que o levou a causar tudo aquilo. Lembrou-se do seu primeiro emprego, como foram difíceis os primeiros meses. Trabalhava como um louco para tentar suprir todas as necessidades de sua casa, apesar de todo seu esforço a recompensa era grande. Nada o deixava mais feliz do que chegar a casa e ter o sorriso de Demi para recebê-lo. Eles eram felizes, extremamente felizes, mas ele não sabia.
 Seu melhor amigo o levou para um teste em uma nova empresa. Ficou extremamente feliz por ter sido aceito. Ele começaria em um cargo baixo, mas teria chances de subir. Seu salário seria maior e a carga horária menor. Tudo parecia estar dando certo naquele momento. Conseguiu pagar aluguel de uma casa melhor, podia compra mais coisas para Demi e também passar mais tempo com ela, tudo parecia um sonho, mas sonhos não duram para sempre.
Com o tempo Joe foi se destacando na empresa, seu superior o subiu de cargo. Novamente Joe começou a se destacar dentre os que tinham a mesma função que ele. Seus superiores o admiraram e logo ele estava ocupando um lugar importante. Conseguiu comprar uma casa própria, duas, três, quatro... Deu a Demi um carro importado e um cartão de crédito para que pudesse compra as roupas que quisesse.
 Assim como todo dinheiro ganho, precisa-se de muito esforço para ganhar. Não era fácil ter tudo o que tinha... Precisava realmente dar de seu suor. Conforme os dias iam se passando, mais o emprego exigia dele. O seu telefone tocava o tempo todo, chegava tarde à casa devido a reuniões e ainda havia viagem constante.
“Droga, droga, droga! Tudo o que eu queria era que você tivesse tudo meu amor.” Se remoia por dentro batendo em sua própria cabeça.

“– Joe?! Querido?! – Demi disse entrando no quarto vendo Joe terminando de arrumar as malas. – Vai viajar de novo? – perguntou com pesar.
- Preciso estar em Chicago amanhã pela manhã, então tenho que sair daqui a pouco. – respondeu sem olhá-la dobrando a última camisa e colocando na mala.
- Mas de novo? É o quinto final de semana seguido. – disse tentando segurar algumas lágrimas que nem foram percebidas por ele.
- Pois é. Mas é importante e alguém precisa pagar seu cartão de crédito. – disse um pouco em tom de piada, mas ainda sério. - Bom, já estou atrasado. Adeus Demi, volto no Domingo à tarde.  – disse dirigindo-se a saída do quarto.
- Não vai nem ao menos dar-me um beijo de despedida? – ela perguntou.

Um comentário: